segunda-feira, 3 de setembro de 2012

O princípio da celebração / The principle of celebration / El principio de la celebración

Você já deve ter assistido diversas vezes àquelas comemorações estranhas com dancinhas e outras manifestações dos atletas quando fazem um gol no futebol. O que isso tem em comum com a nossa vida diária é que precisamos aprender a curtir as conquistas e as superações a cada etapa da vida como se fossem partes essenciais de nossa realização. Isso é uma demonstração para nós mesmos de que estamos comprometidos com o que deseja alcançar, bem como para dar mais valor aos momentos vividos.
A gente descobre cedo que a maior parte de nossas conquistas e realizações não é fruto de merecimento, mas é resultado de oportunidades que são verdadeiras dádivas. Celebrar até mesmo as pequenas conquistas é um modo reconhecer que sozinhos não as teríamos alcançado. Aprender a celebrar, portanto, tem a ver com aprender a viver e a dar valor à vida. Porém, o individualismo e o hedonismo que marcam a sociedade de consumo e do espetáculo atualmente dão uma ênfase aos momentos individuais de celebração como se tudo dependesse de nós mesmos. A melhor maneira de celebrar uma conquista é partilhar esse sentimento de realização com outras pessoas, principalmente com aquelas que mais contribuíram para nosso sucesso.
Celebrar junto é mais significativo porque estimula a que novas conquistas aconteçam, dando continuidade à dinâmica da vida, que se dá em meio a uma sucessão de realizações. Muitas vezes, não comemoramos nossas conquistas porque esperamos reconhecimento e aprovação das pessoas. E isso pode se tornar fonte de frustração, de decepção e até de desistência. Entretanto, é preciso estar consciente de que cada etapa vencida é parte de um longo processo de amadurecimento e crescimento pessoal. Ao ignorar o valor de seus esforços, inconscientemente você é desencorajado a conquistas maiores.
Deus sabe de antemão que você não é bom em tudo. Ele conhece os seus pontos fracos. O diabo também. A diferença é que Deus o ama como você é e o ajuda nas fraquezas. A Bíblia mesmo nos orienta: “Em tudo dai graças.” 1 Tessalonicenses 5.18. Essa atitude corresponde a dar honra a quem realmente tem contribuído para nossas conquistas. Aliás, celebrar é reconhecer o valor de nossas conquistas e atribuir um significado para as nossas realizações.
A celebração que é voltada para si mesmo comporta muitos riscos. O momento em que um time está mais sujeito ao contra-ataque é após a comemoração de um gol ou de uma grande jogada. O maior risco de derrota na guerra é logo após vencer uma batalha. Isso não significa que você está impedido de celebrar. Ao contrário, é um convite a uma atitude de confiança, reconhecendo que uma pequena vitória hoje é o prenúncio de uma grande conquista amanhã. Mesmo que fracassos aconteçam, nunca podemos perder de vista que a vida comporta uma totalidade. Uma vitória nem mesmo uma derrota são um fim em si mesmas. Nem sempre um aluno não é aprovado porque passou em todas as provas ou porque acertou todas as questões. A aprovação é sempre resultado de perseverança no conjunto das avaliações. Lembre-se de que ter uma vitória não é o mais importante e sim permanecer um vencedor.
Você pode celebrar de várias maneiras: com ações, com gestos e com expressões. Contudo, nenhuma delas é tão significativa quanto aquela que se converte em palavra. A Bíblia dá destaque a algumas palavras que estão presentes nas manifestações de júbilo e de alegria por parte daqueles que celebram suas conquistas como sendo dádivas de Deus para a vida. Aleluia, amém, glória e hosana são algumas delas. Elas não só demonstram a alegria pelas realizações, mas também servem para reconhecer a quem atribuímos as razões de nossas muitas vitórias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Assista:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails