quinta-feira, 18 de novembro de 2010

O que é Teologia da Missão Integral / Integral Mission Theology / Teología de la Misión Integral

Já não é de hoje que se fala de se produzir uma teologia que seja latino-americana, própria para a realidade vivida em nosso contexto. Uma tentativa marcante foi a da Teologia da Libertação, mas que atingiu mais os meios católicos do que evangélicos. Uma outra proposta que precisa ser mais analisada é a da missão integral.
A teologia da missão integral acontece no contexto do movimento evangelicalista latino-americano. Esse movimento inspirou-se no fundamentalismo protestante norte-americano, que se inicia com a reação, no começo do século XX, à teologia liberal. Em 1910, foram aprovados cinco pontos fundamentais da fé cristã por um grupo de presbiterianos: nascimento virginal de Jesus; ressurreição corpórea de Jesus; inerrância das Escrituras; teoria substitucionária da expiação; eminente volta de Cristo.
Como precursores dessa forma de fazer Teologia, encontra-se o pacto de Lausanne (1974) como inspirador, cuja ênfase é a afirmação de que o mundo ouça a voz de Deus (com base no texto bíblico de Isaías 61). Ele foi escrito como resultado do Congresso Internacional de Evangelização Mundial, que aconteceu naquele ano na cidade de Lausanne, Suíça, promovido pelo movimento evangelicalista, liderado pelo pregador norte-americano Billy Graham. Há ainda o modelo do Celam (a II Conferência do Conselho Geral do Espiscopado Latino-americano), em Medelim (1968), que serve como referencial para o início da teologia da libertação, como um paradigma para a formulação de uma proposta latino-americana.
O primeiro marco histórico da formulação de uma teologia da missão integral é o Clade I (Congresso Latino-americano de Evangelização, 1970), na cidade de Bogotá, Colômbia, quando surge um grupo de teólogos evangelicalistas preocupados com as tendências da teologia da libertação. Na América Latina, as diretrizes do Pacto de Lausanne começaram a ser debatidas durante o Clade II, em 1979, na cidade de Lima, Peru. No Brasil, aconteceu somente em 1983, durante o Congresso Brasileiro de Evangelização.
A preocupação era de levar o evangelho todo, a todo homem, de forma concreta, em todo lugar. A máxima é de que o mundo todo, especialmente a América Latina, seja alcançado pela proclamação do evangelho através das ações concretas. Ou seja, levar o evangelho todo, para todo o homem e o homem todo.
Costuma-se classificar a teologia da missão a partir dos seguintes aspectos: a moldura – o pacto de Lausanne; o horizonte – o evangelicalismo; a perspectiva – a missão integral.
Dentro os principais pensadores, temos: Samuel Escobar, René Padilla e Robinson Cavalcante. Atualmente, a principal entidade promotora é a FTL – Fraternidade Teológica Latino-americana. Em relação às abordagens desenvolvidas por esse modo de fazer teologia encontram-se alguns temas que merecem maior destaque, tais como: o Espírito Santo como protagonista da ação evangelizadora; uma antropologia concreta e a centralidade da Palavra.
(Resumo do trabalho apresentado para uma das disciplinas do Doutorado em Teologia na Puc-Rio)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Assista:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails