quinta-feira, 7 de abril de 2011

Tiros em Realengo: o atentado contra crianças no Rio de Janeiro e as incertezas / Bowling for Realengo / atentado y inseguridad

A manhã do dia 7 de abril de 2011 vai ficar marcada na memória da cidade do Rio de Janeiro. É uma data para não ser esquecida. O lugar que deveria servir como espaço para a construção do futuro e para se vivenciar a esperança de melhoria de vida foi transformado no cenário de um acontecimento patético que levará muito tempo para sequer entendermos. Não podemos evitar de associar esse fato aos assassinatos provocados por francoatiradores nos Estados Unidos da América, perpetuado no conhecido documentário Tiros em Columbine, de Michael Moore. Mas a diferença é conjuntural: o atentado carioca envolve uma comunidade pobre do subúrbio e um jovem marcado por perdas e uma vida destituída dos mesmos elementos culturais. O problema não passa tão somente pelo consumo de armas, nem mesmo pelo caso de bullying. Acho também que não se está a procura de culpados. O agente dessa chacina está morto. Entendo que estamos diante de um quadro que é ao mesmo tempo aterrador e resultado desse momento que vivemos, uma combinação explosiva de circunstâncias. Alguns elementos não podem escapar de nossa atenção. O primeiro deles tem a ver com a crescente banalização do mal, que estimula a indiferença e nos empurra para um isolamento social e a perda do sentido de comunhão, que faz com que a vida do outro não tenha valor a não ser para dar vazão ao que eu sinto. Outro elemento é o fenômeno dos relacionamentos fugazes, fluidos, transitórios e fragmentados, a supervalorização do agora e do instante vivido, que não finca raízes, nem produz história. Há também o problema do fundamentalismo (seja de que religião ou ideologia for) como alternativa a esse mundo de incertezas, que afirma a necessidade de uma saída que garanta a verdade e a purificação numa perspectiva totalmente sem ética e sem sentido. O efeito da globalização bem como o surgimento da sociedade virtual e midiática tem produzido uma mentalidade que cria um mundo irreal, fundado em modelos que estão presentes nos videogames e sites de relacionamento. Some-se a isso uma personalidade psicopata e sociopata, então se tem uma bomba relógio prestes a explodir de forma imprevisível, cujas vítimas são os mais inocentes. Não. Essa não é a primeira vez que isso acontece no Brasil. Ou será que esquecemos o caso da escola de São Paulo, em 2003, e do Shopping Morumbi, em 1999? E o que falar da Candelária, em 1993, e de Vigário Geral, naquele mesmo ano? Está claro que a intenção do assassino era de chocar e chamar a atenção sobre si. Isso é típico do perfil de todos os assassinos nessa modalidade. Ele premeditou tudo para ter, de forma macabra, o seu instante de fama. Poderia ter proporções maiores, não fosse o policial que o interceptou. A dor que essas famílias sentem e a perda de meninos e meninas de 12 a 14 anos de idade não podem ser consolados com uma explicação dessa. Isso pode até nos ajudar a entender um pouco esse mundo que geme, mas não apaga a marca que fica. Não há como enxugar lágrimas nessa hora. O momento é de choro copioso, sentido, que se transforme em grito de socorro a fim de que outras vidas sejam poupadas, principalmente de crianças... Porque essa doeu demais! O que nos consola é saber que há um Deus que se importa, exatamente porque ele percebe toda essa maldade e se oferece como caminho, por meio de Jesus Cristo, e nos acolhe como filhos que precisam de cuidado. É a ele que devemos orar: "livra-nos também desse mal".

3 comentários:

  1. em meio a tanta violência só confiando em Deus pra sair tranqüilo de casa pra o dia,dia.

    ResponderExcluir
  2. Exceletne postagem. Gostaria de convidá-lo e a todos os seus leitores para analisarem e comentárem nossa postagem, também relacionada a tragédia do Rio: "A TRAGÉDIA NA ESCOLA EM REALENGO-RJ E O PERIGOSO BINÔMIO RELIGIÃO X CRIMES DE ASSASSINATO", em:

    http://filosofiacalvinista.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Olá Pastor!

    Estava vendo "quem sou eu" e percebi que o senhor é de Niterói e também da área de Filosofia. Vai participar do Congresso de Filosofia na UFF em maio/11?

    Estou inscrito e pretendo participar de dois dias, inclusive com apresentação de trabalho, 26 e 27/05/11.

    Quem sabe não podemos nos conhecer e trocarmos nossos livros (no meu caso nosso..rs..só tenho um publicado).

    Tudo de bom!

    fabiobcorreia@hotmail.com

    ResponderExcluir

Assista:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails