domingo, 28 de julho de 2013

Legado da visita do papa Francisco ao Brasil: Uma igreja mais acolhedora e um cristianismo mais humano / Legacy of the Pope's visit to Brazil / El legado de la visita del Papa a Brasil

Qual o legado da visita do papa Francisco ao Brasil? A primeira viagem ao exterior do primeiro papa jesuíta e latino-americano foi marcada por muitas surpresas, principalmente relacionadas ao perfil do próprio pontífice e aos novos caminhos que vem propondo para a igreja católica. O que mais me marcou não foram as manifestações espetaculares que o catolicismo ofereceu ao mundo. Claro que tudo foi bonito de se ver, superando expectativas e demonstrando uma grande vitalidade em tempos de tantos ataques que a religião vem recebendo. Não foi também o modo gentil, simpático e bem humorado do papa. Nem mesmo o seu gesto simbólico pela simplicidade, andando em carro simples, carregando sua própria bagagem de mão abraçando crianças e gente do povo. São gestos bem populistas.
Suas mensagens, sim, marcaram profundamente sua passagem pelo Brasil. A opção pelo discurso simples e objetivo indica uma nova atitude da igreja para com a sociedade, o que a aproxima de fato às pessoas em sua própria circunst6ancia de vida. Alguns pontos foram definidores de uma nova práxis que deve influenciar todo o cristianismo, católicos, ortodoxos e protestantes. Anoto aqui alguns desses pontos que julgo serem os mais importantes:
a)      A igreja deve ser reconhecida como uma comunidade acolhedora e não como uma instituição que detém o poder ou que tem todas as respostas para o drama humano.
b)      O cristianismo deve ser visto como caminho que encoraja, que estimula a fé, que produz alegria.
c)       A fé é a experiência do encontro com Cristo e com o outro. Um não acontece sem o outro.
d)      A missão do cristão é missão de Deus partilhada aos homens. Ser discípulo e ser discipulado são virtudes que caminham juntas. A evangelização é mais um testemunho de vida do que uma busca por adeptos.
e)      No caminho do diálogo com o mundo, busca-se a afirmação da perspectiva comunitária da ação política, que se dá em solidariedade e generosidade, e não com elitismo e distanciamento de Deus.
f)       A vida de serviço e a ação comunitária do cristão devem estar na contramão dos valores enfatizados nesta era secular. O combate à corrupção se dá primeiramente pela rejeição ao egoísmo e à ganância nas nossas relações.
Como se vê, não são afirmações dogmáticas ou moralistas. São temas que estão na pauta do cristianismo como um todo e que atendem ao clamor por mudanças por parte de cristãos de todo o mundo. Não se pode esperar que o catolicismo rompa com uma herança histórica da noite para o dia. Como protestante, ainda estranho os rituais e o apego aos santos, mas me alegro em ver novos ventos que sopram sobre a fé católica. Se queremos que o mundo inteiro seja alcançado para Cristo, é primordial que todos estejamos unidos naquilo que é essencial.
Nesta hora em que a humanidade atravessa um momento tão crítico e que a cultura ocidental se vê diante de tantas ameaças, a mensagem que faz sentido é de somarmos força para a construção de valores que resgatem a dignidade da pessoa e aponte caminho para a salvação. Acredito que ficará muito difícil para lideranças cristãs, e evangélicas em especial, levarem a efeito uma mensagem que destoe do paradigma proposto pelo papa ou uma atuação que se diferencie da simplicidade e da gentileza que ele demonstrou.

2 comentários:

  1. Meu caro amigo Ir. Irenio Chaves, parabéns pelo seu texto sobre a visita papal ao Brasil. Aprecio a maneira humilde, exemplar deste papa, mas a sua mensagem, conforme expressa no seu texto, é cristã e deveria ser proclamada por evangélicos e protestantes. Abraço amigo.

    ResponderExcluir
  2. Grato Irenio! De início está legal teu legado observativo. Prefiro aguardar um tempo prá ver se estes ventos ficam ou terão resistência sólida no vaticano e suas nuances!

    ResponderExcluir

Assista:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails