segunda-feira, 21 de julho de 2014

Não me envergonho do evangelho / I am not ashamed of the gospel of Christ / No me averguenzo del evangelio

Não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê [...].” Romanos 1.16
O evangelho é a boa notícia de que Deus se importa com nossas dores. É ouvir a voz de Jesus que nos chama para segui-lo e a viver no mundo a nova vida que nos propõe.
Acolher o evangelho, porém, tem implicações na vida do crente, remete a uma tomada de posição. Seguir a Jesus é um fato histórico que só dá para ser realizado na mesma dimensão da revelação de Deus na figura histórica de Jesus de Nazaré, o verbo encarnado.
O poder do evangelho só faz sentido no contexto do Reino de Deus. Não corresponde a uma acumulação de forças nem manifestação de autoridade, mas uma relação que se expressa sob a forma de missão. É poder de Deus que me interpela a que faça um deslocamento para o lugar do outro.
Para que o poder do evangelho seja exercido, é preciso conjugar proclamação e compaixão que brotam do amor comprometido. A proclamação é testemunho da fé e a compaixão é a capacidade de sentir a dor do outro.
Aquilo que não gera compaixão pelas pessoas que são vítimas de um mundo desigual, acaba mutilando, inibindo e envergonhando o evangelho em nós. A vergonha do evangelho é o que impede o testemunho e conduz a uma vida omissa em relação às possibilidades de transformação que ele proporciona.
Pessoas que não têm vergonha do evangelho são aquelas que são úteis nas mãos de Deus e se oferecem como agentes de transformação para um mundo carente de vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Assista:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails