domingo, 19 de julho de 2015

Regras básicas para empregar bem seu dinheiro / Basic rules for use your money / Reglas básicas para el uso de su dinero

“Então lhes disse: ‘Cuidado! Fiquem de sobreaviso contra todo tipo de ganância; a vida de um homem não consiste na quantidade dos seus bens’.” Lucas 12.15 
Muitas pessoas afirmam que dinheiro não é problema, mas solução. Ou, como dizia um grande amigo, se o dinheiro não lhe traz felicidade, dê para mim todo o seu dinheiro e seja feliz. Não é bem assim. Brincadeiras à parte, estes comentários que vêm do senso comum envolvem o modo como as pessoas enfrentam dificuldades em empregar bem o dinheiro que possuem.
Não basta ter dinheiro na mão. É preciso fazer bom uso dele. O dinheiro sozinho não resolve todos os problemas. Certa vez, o maior evangelista de todos os tempos, Billy Graham, afirmou: “Se a pessoa mantém uma atitude correta diante do dinheiro, isso contribuirá para colocar em ordem praticamente todas as demais áreas de sua vida.”
Planeje o uso do dinheiro levando em consideração:
a) O que você ganha e o que você gasta.
b) O que você tem e o que você deve.
c) O que você precisa de imediato e o que você pode conquistar com mais tempo.
Coloque isso numa planilha. Quanto mais claro e objetivo for o seu planejamento, mais chances você tem de administrá-lo bem.
Quando você recebe o seu salário mensal ou algum recurso novo, qual é a sua principal atitude? Cuidar bem do seu dinheiro faz toda a diferença entre sonhar e concretizar sonhos para a sua vida e para a sua família. Quando você administra bem o seu dinheiro, isso orienta os rumos de sua vida. Por exemplo, quando você gasta muito em um fim de semana, isso pode exigir uma contenção de gastos durante a semana seguinte. O mesmo vale para uma transação maior: se você quiser comprar um bem mais valioso, necessita de um planejamento mais rigoroso de suas economias.
Qual sua maior motivação para comprar? Veja algumas atitudes comuns em relação ao consumo:
a)      Projeção – Você compra porque está na moda, porque todo mundo tem e você não quer ficar de fora.
b)      Inflação – Você compra porque quer mostrar aos outros que pode e tem condições de adquirir.
c)      Equilíbrio – Você compra porque simplesmente precisa daquele bem.
Alguém certa vez afirmou: “Status é comprar coisas que não precisa com dinheiro que não tem para impressionar a quem não gosta” (Autor desconhecido).
Uma das falhas mais corriqueiras na administração do dinheiro é reduzir essa preocupação somente a uma redução de gastos. Um bom planejamento financeiro envolve tanto a economia dos recursos de que dispõe como também a conquista de novas fontes de rendimento.
No que diz respeito aos seus gastos, adote estes cinco passos para reduzir suas dívidas:
a)      Pare de contrair dívida.
b)      Limite seus gastos.
c)      Planeje para o futuro.
d)      Não espere por milagres instantâneos.
e)      Procure ajuda profissional.
No que diz respeito às suas receitas, adote estes três passos para aumentar sua capacidade financeira:
a)      Invista o seu dinheiro e gaste o que sobra – A fórmula não é poupar o que sobra, mas poupar primeiro e gastar o que sobra.
b)      Aperfeiçoe-se em ganhar dinheiro – Para ser um bom administrador de suas finanças, você primeiro precisa ter o que administrar.
c)      Decida viver modestamente – Menos é mais.
Por fim, é preciso dar ênfase à seguinte afirmação: tenha uma mentalidade credora, e não devedora! Isso quer dizer que, ao adquirir seus bens e empregar bem o seu dinheiro, você precisa investir mais energia em aumentar a sua capacidade financeira do que acumular dívidas, prestações e compromissos financeiros.
Um dos conselhos mais sábios foi dado pelo pregador avivalista inglês do século XVIII John Wesley: “Ganhe todo o dinheiro que puder, economize todo o dinheiro que puder, doe todo o dinheiro que puder.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Assista:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails