sábado, 21 de fevereiro de 2009

Avivamento: o remédio de Deus para a crise / The God's antidote to crisis / Aviva: la medicina de Dios para la crisis

Como será que Deus olha para a crise que estamos enfrentando? Muitos críticos da fé cristã têm acusado a Deus como um insensível às dores humanas. Afirmam que se Deus existe ele está ausente ou então é um Deus fraco. Mas é na sua fraqueza e ausência que Deus se mostra poderoso e presente.
A pergunta comum em meio à crise é: o que fazer diante de tantos problemas que temos atravessado? A Bíblia aponta para o fato de que, quando as coisas chegam a ficar fora do controle, essa é a hora de Deus agir.
A única solução para tempos difíceis é permitir que Deus se manifeste entre nós com seu poder e sua graça, de tal modo que possa deixar marcas profundas da transformação de vidas para a glória dele.
Essa manifestação especial do poder de Deus tem sido analisada e até mesmo buscada pela igreja evangélica como um tempo da visitação de Deus ao seu povo. O tempo da visitação especial de Deus ao seu povo tem sido chamado de avivamento.
Tem sido assim ao longo da história do cristianismo. Deus tem visitado o seu povo com ventos de avivamento em meio a momentos de grande enfrentamento.
O primeiro grande avivamento entre os cristãos está registrado na Bíblia. Foi quando o Espírito Santo inaugurou o seu ministério no Dia de Pentecostes, registrado em Atos 2.
Outros movimentos de avivamento continuaram a acontecer, como entre os cristãos celtas (do século V ao século IX), ou através de João Huss na Tchecoslováquia (no século XIV), a própria reforma protestante no século XVII, o movimento pietista europeu no século XVIII.
Mas o maior avivamento que já se tem notícia foi o que aconteceu na Inglaterra e na América do Norte no século XVIII, que resultou na maior expansão missionária da igreja em toda a sua história. A igreja evangélica brasileira é resultado desse mover de Deus.
Hoje, mais do que nunca, precisamos de uma visitação do Espírito Santo em todo o mundo. Alguns até identificam que esse novo tempo para a igreja significa o surgimento de uma atitude que entenda o coração do homem contemporâneo a fim de o conduzir em sua experiência com Deus.
O detalhe interessante é que, quando o avivamento acontece, é sinal de que houve antes um profundo declínio moral e espiritual. E é essa condição que nos permite entender que Deus possibilitou algo que restaura a nossa comunhão íntima com ele.
Note bem:
a) Para que o avivamento aconteça, é preciso que as pessoas reconheçam que precisam dele.
b) E se o avivamento acontece, isso é acompanhado por uma ardente paixão em atrair as pessoas para que participem de nossa experiência com Deus.
Ainda no século XIX, Spurgeon - um inflamado pregador inglês - reconheceu que muitos movimentos tidos como avivamentos causaram mais danos do que benefícios para a obra de Deus. Leonard Ravenhill faz a pergunta: por que tarda o pleno avivamento? Esse é o título de seu pequeno livro, muito antigo, sobre esse assunto. Dentre as muitas respostas que apresenta está o fato de que roubamos a glória que pertence a Deus.
Alguém um dia perguntou:
– Qual o segredo para o avivamento?
– Não há segredo. Ore! – Foi a resposta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Assista:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails