quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Crescimento pessoal e espiritual / Personal and spiritual growth / Crecimiento personal y espiritual

Tenho para mim que as coisas não poderão mudar na minha vida se eu permanecer do mesmo jeito que estou. Pense quando você estava no começo de sua carreira profissional ou no começo de um relacionamento. Se você tivesse o conhecimento que tem hoje, faria do mesmo jeito o que você fez naquela época do começo? E se tivesse a chance de começar de novo, faria tudo da mesma maneira?
Atualmente, a maioria dos conselhos para situações de autorrealização são: “não desista”, “mantenha o foco”, “agregue valor”, “dê a volta por cima”, “supere a si mesmo”, “seja um vencedor”. Ninguém vai chegar até você para dizer: “cresça e apareça”. O problema é que, embora pareçam abordagens distintas, elas acabam interrelacionadas. Crescer e aparecer não têm nada a ver com sua estatura física. Isso tem mais a ver com a maneira como você vê a si mesmo, pois é isso que você está mostrando de si para os outros. Se você quer dar um incentivo à sua carreira ou aos seus relacionamentos e, ao mesmo tempo, estar diante dos holofotes, você precisa pensar sobre esse tema.
Mas como colocar em prática esses conselhos na vida diária, em meio aos conflitos em família, do ambiente profissional, nos relacionamentos? Eu tenho uma notícia boa e uma ruim sobre isso. A ruim é que não existe um remédio instantâneo para crescer e aparecer. A boa é que sempre existe um jeito para você chegar lá. Não é fácil nem rápido, mas compensa. Necessariamente não o levará para diante dos holofotes, mas será impossível passar por essa vida inteira sem deixar vestígios significativos e sem ser notado.
Todos nós queremos melhorar em alguma coisa. E nada impede que desejemos progredir. O problema é que existem muitas barreiras que atravessam o nosso caminho e, por conta disso, muita gente acaba desistindo. Você se lembra qual foi a última vez que sonhou em alcançar algo e desistiu? Quem sabe o sonho da casa própria, ou um curso de aperfeiçoamento em sua carreira, ou mesmo uma dieta para perder uns quilinhos. Por trás do que motiva o desânimo e a desistência encontram-se diversos fatores que estão relacionados com o nosso desenvolvimento pessoal
Pensando nisso é que surgiram algumas ideias. Ultimamente, a minha preocupação tem estado voltada para a busca de orientações para o desenvolvimento humano de forma pessoal. Crescer é próprio dos seres vivos, mas só o ser humano se preocupa com isso. Para isso, três pressupostos orientaram o meu modo de pensar.
O primeiro é que o desenvolvimento humano não é natural. Trabalho com a hipótese de que toda a ação humana é social e culturalmente construída. Isso não é o mesmo que dizer que o homem é produto do meio. Da mesma forma que é um equívoco dizer isso, é também um equívoco dizer que temos total controle de nossa existência, ou que somos apenas determinados biologicamente. Não podemos negar que vivemos a tensão entre o determinismo e a liberdade, que somos influenciados e que influenciamos, ficamos perplexos diante do contingente, mas podemos fazer escolhas.
O segundo é que a Bíblia é o mais completo guia de orientações para a humanidade que já existiu. Se você quiser fazer da Bíblia um guia de verdades absolutas, você vai ter sérios problemas. Primeiro porque a Bíblia foi escrita em um tempo que não se tinha o conhecimento que se tem hoje. Segundo porque os escritores bíblicos nunca quiseram ter todas as respostas para as questões humanas. Terceiro porque as nossas condições socioculturais são completamente distintas dos autores e primeiros leitores da Bíblia. Mas é preciso reconhecer que o povo hebreu elaborou uma obra que contém princípios de vida que influenciam até hoje três grandes religiões: o cristianismo, o judaísmo e o islamismo. E isso inclui não somente os seguidores dessas religiões, mas também toda a sociedade onde haja um praticante sequer de qualquer uma dessas religiões.
O terceiro é que Jesus foi o maior mestre sobre crescimento pessoal e de reflexão sobre a nossa condição humana que já viveu entre os homens. Ele não somente deixou ensinos profundos que têm influenciado o pensamento humano, como também viveu de um modo que nos intriga até hoje. Não importa como você o estude, seja do ponto de vista histórico ou do ponto de vista da fé, Jesus Cristo serve como exemplo e referencial para o agir responsável de qualquer ser humano, em qualquer contexto. Ao dizer isso, não posso deixar de admitir que esse pressuposto tem um implícito: o modo como Jesus Cristo se torna relevante para a minha vida envolve um contexto maior, que é o fato de que há um Deus que, de forma inteligente, tem propósitos muito claros para a minha vida e que está interessado em ter um relacionamento pessoal comigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Assista:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails