domingo, 26 de junho de 2016

Ele levanta o necessitado / He raises the poor from the dust / El levanta del polvo al pobre

Levanta do pó o necessitado e, do monte de cinzas ergue o pobre; ele os faz sentarem-se com príncipes e lhes dá lugar de honra [...]” 1 Samuel 2.8
No dia que Ana levou o seu filho ao templo para consagrá-lo ao Senhor, ela fez uma oração incomum. Em primeiro lugar, porque estava exultante de alegria por Deus ter atendido ao seu clamor. Em segundo lugar, porque ela reconhecia quem Deus era e quem ela era. Poucas vezes oramos assim.
A alegria por alcançar uma graça, por ser socorrido na aflição, por receber o consolo na hora da angústia, por sentir alívio na dor, por ver o milagre acontecer é inevitável. Até mesmo incrédulos e hereges podem se sentir alegres por uma solução sobrenatural de seu problema. O difícil é admitir que eu sou quem de fato sou e que Deus é quem de fato é. Eu sou humano, um ser criado e contingente, que não mereço nada de Deus. E Deus é um ser necessariamente amor, que não precisa que eu faça absolutamente nada para me amar.
A pergunta que me vem à cabeça é: o que pode fazer com que eu reconheça que Deus age como Deus, na medida que não sou merecedor de nada?
Deus é quem nos dá força e coragem para atravessarmos os dias maus.
Deus nos abençoa com a dádiva da fé a fim de que possamos ver as portas que só ele pode abrir.
Deus sinaliza a sua presença entre nós, ele dá sinais de que está ao nosso lado em todo tempo.
Deus manifesta a sua vontade na medida em que estabelecemos uma relação de pertença a ele.
E o que pode fazer com que eu expresse o meu reconhecimento pelo que Deus faz?
Ana foi um raro exemplo do que pode fazer uma pessoa agradecida. O que ela mais desejava era ter um filho. E quando ela alcança esse desejo, encontra Deus que a preenche de alegria e realização. Como sinal de sua gratidão, ela consagra a Deus seu maior desejo. Aquela mulher que vivia triste e humilhada, agora podia levantar os seus olhos e dizer quem é Deus para ela, aquele que ergue do pó o necessitado para o colocar em um lugar de honra.
Essa expressão de Ana tornou-se tão significativa para a espiritualidade do povo de Deus que foi repetida em canto pelo salmista: Ele levanta do pó o necessitado e ergue do lixo o pobre, para fazê-los sentar-se com príncipes, com os príncipes do seu povo” (Salmos 113.7,8). Que esta seja a oração do seu povo, que este seja o nosso canto.
(Foto: Sebastião Salgado.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Assista:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails