sábado, 17 de dezembro de 2016

Natal, mistério da Misericórdia / Christmas, Mystery of Mercy / Navidad, el mistério de la Misericordia

“Enquanto estavam lá, chegou o tempo de nascer o bebê, e ela deu à luz o seu primogênito. Envolveu-o em panos e o colocou numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na hospedaria” (Lucas 2.6,7).
O Natal é a expressão da misericórdia divina que chega até nós com um rosto, com forma de gente. É ocasião em que somos chamados a agir de forma mais humana porque o eterno se fez como um de nós.
Por essa razão, o Natal deve ser marcado tanto pela celebração da manifestação da misericórdia divina quanto por nossa resposta ao convite para sermos misericordiosos. Do contrário, o Natal não vai passar de uma festa de aniversário do pior tipo, aquela em que sequer cumprimentamos o aniversariante.
Jesus nasceu num contexto de humildade. Seus pais não tinham o prestígio para encontrar um lugar de descanso na cidade. Tudo o que conseguiram foi um espaço numa estrebaria. Num leito emprestado – um coxo para alimentar animais –, o salvador do mundo teve sua primeira acolhida. Ali na manjedoura, Jesus revela o mistério da misericórdia e, ao revelar, se abre para que encontremos o sentido para a nossa existência. Ali, a dignidade humana é valorizada, o sentido da criação é resgatado.
Na noite em que Jesus nasceu, não havia lugar para ele nas hospedarias da terra natal de seus pais. Esse episódio é representativo da condição do mundo, que não tem espaço para Deus. Hoje, mais do que antes, Deus é lançado para fora do mundo. Cada vez mais pessoas não têm espaço para Deus em sua vida, em suas famílias, em seus negócios e em seus relacionamentos.
Em Cristo, Deus se fez pequeno, como um de nós, para nos atrair para si, para o seu amor. Celebrar o Natal nessa perspectiva é compreender o amor e a justiça de Deus que se expressam em seu gesto misericordioso. Apesar de nosso distanciamento e indiferença, Deus nos alcança com seu amor, age com justiça em nosso favor e nos acolhe com seu perdão.
Quando Deus se fez criança, ele demonstrou que estava inclinado para nossa humanidade. Ele se fragilizou ao ponto de precisar do cuidado de uma família. Deus se fez humano para resgatar o que há de mais humano em nós. Deus se fez história para nos conduzir aos seus propósitos. Deus se fez temporal para que pudéssemos experimentar sua misericórdia. Deus se fez mundano para que pudéssemos alcançar o céu.
Jesus é a misericórdia divina com identidade. E é na sua pessoa que o Natal se converte em um tempo de refletir sobre a nossa relação com Deus. Não é um evento preso ao passado, mas é um fato que nos remete de volta à nossa existência, para nos redimir de nossa própria perdição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Assista:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails