terça-feira, 16 de outubro de 2007

Síndrome do Deus apático / Syndrome of apathetic God

“Então o Senhor despertou como que de um sono, como um guerreiro despertado do domínio do vinho”. Salmos 78.25.

O Deus das Escrituras não é, sem sombra de dúvidas, um Deus apático. Quando falo de apatia não me refiro só à indiferença. Falo da relação com o sentimento. Falo da questão do pathos.
O Deus sem o pathos é o Deus da metafísica, causa primeira de todas as coisas. Isso é para o pensamento grego. Para as Escrituras, Deus é “patológico”. Ele se deixa afetar, Ele se apaixona, Ele se deixa tomar pelo furor, Ele se entusiasma.
O salmista começa o salmo 78 relatando uma sucessão de bênçãos seguidas de atitudes pecaminosas. Deus abençoa e o povo peca. Até que Ele se cansa e rejeita um povo assim. Mas, quando o vê mergulhado em problemas, retoma o cuidado e restaura a quem tanto ama.
Nesse momento, o salmista diz que Deus se desperta como que de um sono e usa a metáfora de um soldado embriagado. Já imaginou o que seja isso? Isso não te parece tão passional? Alguém que age movido pela paixão em defesa dos seus.
Tenho para mim que, quando Deus se revela, Ele não o faz de uma forma racional, objetiva. Ele se mostra por inteiro e em sua intimidade. Ele revela o seu pathos. Até porque essa relação entre razão e emoção precisa ser melhor compreendida. A razão é emocional e a emoção também é inteligente.
Deus derrama sobre nós o seu pathos e nós atribuímos significado a isso, transformamos em palavras, expressamos o pathos de Deus por meio do discurso. Foi assim com a revelação bíblica. Tem sido assim ao longo do tempo. Ainda é assim para nós hoje.
Deus se deixa afetar pelas coisas que nos afetam. Não há nada que nos faça sofrer que não tenha feito Deus sofrer também. Não há nada que tenha nos dado alegria que não tenha alegrado a Deus também.
Essa relação não é de mão única. Você é imagem e semelhança de Deus. Você também tem um pathos. Você precisa se deixar ser movido pelas coisas que tocam os sentimentos de Deus. Aquilo que incomoda ou alegra o coração de Deus precisa te afetar de algum modo. Do contrário, você vive uma vida enferma. O apático passa a ser você.

6 comentários:

  1. obrigada pelo teu blog existir! Me tira um pouco da minha realidade e faz eu ler e pensar em coisas diferentes!!!
    beijo

    ResponderExcluir
  2. Esse é o foco, Tita (ou chamo de Letícia). Eu também preciso disso e compartilho o que me inquieta. Continue comigo nessa caminhada. Também gosto muito do que você escreve. Li tuas poesias. Muito boas. Beijos

    ResponderExcluir
  3. É só observar a maneira como ele lidava com os profetas. Por diversas vezes eles foram submetidos a situações inimagináveis. Apenas para que eles se sentissem como Ele se sentia. Afinal de contas, um bom profeta precisa sentir com o coração de Deus. Ser profeta é barra pesada meu caro.
    Um grande abraço.
    Neuber

    ResponderExcluir
  4. Já reparou que ninguém foi profeta por escolha própria? Teve que ser chamado e condicionado pra isso. muitos desde o ventre materno.

    ResponderExcluir

Assista:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails