sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Trajetória de Sucesso / Path to Success

“Não teve por usurpação ser igual a Deus. Mas aniquilou-se a si mesmo...” (Filipenses 2.6-7)

Jesus foi um grande mestre de espiritualidade. O maior que já viveu. Além de praticar o que ensinou, teve um modo de vida comprometido com o seu tempo. Por isso, convido você a pensar um pouco nisso.
Quem olhou para aquele berço onde Jesus nasceu, não poderia imaginar que ali estava alguém destinado ao sucesso. Uma pessoa que nasceu em um meio tão rude, de uma forma tão cercada de circunstâncias difíceis, não seria bem sucedida no curso de sua vida. Jesus nasceu de um modo muito difícil de se começar a vida. E ainda era da descendência de um Rei em um reino dominado.
Quem se encontrou com Jesus e com ele caminhou durante o seu ministério, diria que não tinha chance de alcançar sucesso em seu empreendimento. Abandonou a sua carreira profissional cedo, não tinha um patrimônio sólido nem renda fixa. Sua agenda de trabalho era imprevisível, não dava muita atenção aos relacionamentos mais fortes, como família e amigos mais chegados. Além disso, bateu de frente com a classe dominante, aqueles que poderiam garantir uma oportunidade de emprego e de estabilidade financeira.
Quem viu Jesus orar no Getsêmani e sentir a agonia da morte, não poderia dizer que ali estava um homem de sucesso. Sua opção de vida fora um fracasso. Escolheu doze homens para a sua equipe de trabalho de origem humilde, todos inexperientes e incapazes para a tarefa. Além disso, a maioria das pessoas estava contra ele. Naquele instante de oração, era como se estivesse dando um toque final, como se soubesse que tinha escolhido o pior caminho.
Quem olhou para a cruz e viu Jesus morrer só e humilhado entre dois ladrões, certamente não diria que ali estava uma pessoa que tinha alcançado o sucesso. Dificilmente alguém diria naquele instante doloroso que Jesus era um vencedor.
Mas a trajetória de Jesus desde o céu até a cruz, incluindo a manjedoura e o Calvário, foi uma trajetória de sucesso. Era necessário que ele padecesse como homem e como servo, para que eu recebesse a graça salvadora e pudesse me aproximar de Deus de forma livre. Nesse sentido, Ele cumpriu um propósito específico, consciente de que essa era a sua missão.
Por isso, o conselho que vem logo no início da narrativa bíblica é: “... haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus” (Fp 2.5). Pode ser que a sua trajetória também não esteja sendo de sucesso. Mas se você está focado naquilo para o qual é a tua missão de fato, não importam as circunstâncias. A marca do sucesso aparecerá afinal, por ter feito tudo aquilo que Deus gostaria que você fizesse.

4 comentários:

  1. Olá Irênio,

    Parabéns pela iniciativa, gostei muito da sua página. Já visiteit também a do Neuber e a qualidade dos materiais disponibilizados é muito boa.

    Abraços,

    Glauco

    ResponderExcluir
  2. Valeu Glauco. Esse é o cara. Obrigado pela visita e visite sempre. é sempre bem vindo. Essa iniciativa, tanto minha quanto do Neuber, visa fortalecer o nosso testemunho como cristãos. Ajuda aí a divulgar essa idéia.

    ResponderExcluir
  3. Gostei do novo layout.

    Aparência e conteúdo é tudo nesse mundo blogal. Você está com os dois.

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Obrigado Pablo. A gente tenta. aliás, esse fato é comentado na minha postagem de hoje sobre a ética pós-moderna. A gente precisa se conhecer mais e conversar mais. abraços

    ResponderExcluir

Assista:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails